A aplicação da teoria das restrições (toc) e da simulação na gestão da capacidade de atendimento em hospital de emergência

Francisco Santos Sabbadini, Antônio Augusto Gonçalves, Mário Jorge Ferreira de Oliveira

Resumo


No ambiente hospitalar os serviços envolvem processos complexos, de alto risco e custos elevados, particularmente numa unidade de emergência hospitalar. Essa é uma das áreas mais complexas e críticas de um hospital, onde a rapidez no atendimento é fundamental. A agilidade no encaminhamento dos pacientes que necessitam de cuidados médicos é fator crítico de sucesso para  redução de seqüelas e nas chances de restabelecimento. Nesse contexto,  torna-se importante a gestão da capacidade de atendimento, a adequada alocação e o dimensionamento dos recursos.  Este artigo objetiva investigar alternativas que agilizem o atendimento a pacientes. Neste contexto são aplicados princípios de gestão da capacidade de serviços,  feita a análise do fluxo de tratamento a pacientes,  utilizada a teoria das restrições na identificação de gargalos e desenvolvido um modelo de simulação a eventos discretos. A partir desse ferramental teórico elaborou-se uma proposta de melhoria para a redução do tempo entre o registro do paciente de urgência e o início do seu efetivo tratamento.

Palavras-chave:  Teoria das restrições (TOC) , Gestão da capacidade de serviços, Simulação, Hospital, serviços de saúde.

 


Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v6i3.636

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


R. Eletr. de Eng. de Produção e Correlatas - ISSN 1676-1901 Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).                           Contato: producaoonline@gmail.com