Proposta de otimização dos processos logísticos do porto de Itajaí utilizando simulação e indicadores da teoria das filas

Maurício Randolfo Flores da Silva, Fernanda Gobbi de Boer Garbin, Ivonir Petrarca dos Santos, Enzo Morosini Frazzon

Resumo


O cenário de avanço econômico de países emergentes e a descentralização da economia global, vivenciado nas últimas décadas, aumentou o uso do modal aquaviário, já que este é o tipo de transporte mais eficiente para grandes cargas a longas distâncias, como acontece nas exportações e importações. Entretanto, esse aumento da demanda tem evidenciado aos terminais portuários a necessidade de um gerenciamento logístico eficiente para evitar o acúmulo de filas e um longo tempo de espera nos processos de carga e descarga de navios. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho é elaborar uma proposta de atendimento de clientes e movimentação de cargas que minimize o tempo de espera dos navios no Porto de Itajaí. A partir de uma entrevista semiestruturada e do acompanhamento das operações no porto, foi construído um modelo conceitual, e, posteriormente, traduzido em um modelo computacional, que foi validado em relação ao modelo real de funcionamento do terminal. Também foi feita uma análise dos processos e levantamento de oportunidades de melhoria para as operações, que permitiu a construção de três modelos alternativos de atendimento, que foram simulados no software ArenaÒ e os resultados foram comparados para identificar a melhor solução para a operação do Porto de Itajaí.

Palavras-chave


Movimentação de cargas. Modelagem computacional. Logística Portuária.

Texto completo:

PDF ♪ÁUDIO♪

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTE AQUAVIÁRIO. Anuário Estatístico Aquaviário. Brasília, ANTAQ, 2016. Disponível em: http://web.antaq.gov.br/Anuario2016/. Acesso em: 7 fev. 2019.

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTE AQUAVIÁRIO. Anuário Estatístico Aquaviário. Brasília, ANTAQ, 2017. Disponível em: http://web.antaq.gov.br/Anuario2017/. Acesso em: 7 fev. 2019.

ALMEIDA, Bruno. Principais características e problemas dos portos do Brasil. Trabalho de Conclusão de Curso (Tecnologia em Construção Naval) – Universidade Estadual Da Zona Oeste, Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: http://www.uezo.rj.gov.br/tccs/capi/BrunoAlmeida.pdf. Acesso em: 07 fev. 2019.

ANDRADE, Eduardo Leopoldino de. Introdução à pesquisa operacional. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2015.

BARROS, Patrick Heverton da Cruz. Eficiência na operação do porto de Vila do Conde. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Engenharia e Gestão Portuária) – Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Florianópolis, 2013. Disponível em: http://observatorioantaq.info/index.php/2016/07/20/eficiencia-naoperacao-do-porto-de-vila-do-conde-patrick-heverton-da-cruz-barros/. Acesso em: 28 mar. 2019.

BERTAGLIA, Paulo Roberto. Logística e gerenciamento da cadeia de abastecimento. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

BONI, Valdete; QUARESMA, Silvia Jurema. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em ciências sociais. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC, Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 68-80, jan./jul. 2005. https://doi.org/10.5007/%25x.

BRASIL. Ministério da Infraestrutura. Investimentos – Portuários. Brasília, DF: Ministério da Infraestrutura, 2018. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/investimentos-portu%C3%A1rios.html. Acesso em: 28 mar. 2019.

BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Dados da exportação dos países do BRICS em 2018. Brasília, DF: Ministério das Relações Exteriores, 2018. Disponível em: http://brics.itamaraty.gov.br/pt-br/sobre-o-brics/dados-economicos. Acesso em: 20 fev. 2019.

BRONSON, Richard. Pesquisa operacional. 1. ed. São Paulo: McGraw-Hill, 1985.

CAMELO, Gustavo et al. Teoria das Filas e da Simulação aplicada ao embarque de minério de ferro e manganês no terminal marítimo de Ponta da Madeira. Cadernos do IME – Série Estatística, Rio de Janeiro, v. 29, p. 01–16, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.12957/cadest.2010.15733. Acesso em: 8 fev. 2019.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DO TRANSPORTE. Plano CNT de transporte e logística. Brasília, CNT, 2018. Disponível em: http://cms.cnt.org.br/Imagens%20CNT/PDFs%20CNT/Plano%20CNT%20de%20Transporte%20e%20Log%C3%ADstica%202018/plano-cnt-transporte-logistica2018.pdf. Acesso em: 28 mar. 2019.

CUOCO, Marcello. Otimização da seleção e alocação de cargas em navios de contêineres. Dissertação (Programa de Mestrado em Engenharia de Sistemas Logísticos) - Universidade de São Paulo – USP, São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3148/tde-14112008-160720/. Acesso em: 28 mar. 2019.

CURADO, Marcelo. Uma avaliação da economia brasileira no Governo Lula. Revista Economia &Tecnologia, Curitiba, ano 7, v. especial, 2011. https://doi.org/10.5380/ret.v7i0.26881.

DOILE, Luiz Fernando. Teoria das filas: analisando o fluxo de atendimento e o número de atendentes em um supermercado. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Administração) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, 2010. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/29741. Acesso em: 13 abr. 2019.

FOGLIATTI, Maria Cristina; MATTOS, Néli Maria. Teoria das filas. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2007.

FREITAS FILHO, Paulo José. Introdução a modelagem e simulação de sistemas com aplicações em arena. 2. ed. Florianópolis: Visual Books, 2008.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2010.

GODOY, Arilda Schmidt. Introdução à Pesquisa Qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de empresas, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, mar./abr. 1995. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-75901995000200008. Acesso em: 22 abr. 2019.

GONZÁLEZ, Maria Manuela, TRUJILLO, Lourdes. Reforms and infrastructure efficiency in Spain’s container ports. World Bank Policy Research Working Paper, v. 1, n. 3515, p. 243-257, 2008. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.tra.2007.08.006. Acesso em: 28 mar. 2019..

HILLIER, Frederick; LIEBERMAN, Gerald. Introdução à pesquisa operacional. 9. ed. Porto Alegre: McGraw-Hill, 2013.

PEGDEN, C. Dennis; SHANNON, Robert; SADOWSKI, Randall. Introduction to Simulation Using SIMAN. 2. ed. New York: McGraw-Hill, 1990.

PRADO, Darci Santos do. Teoria das Filas e da Simulação. 4. ed. Belo Horizonte: Editora de Gerenciamento Gerencial - Série Pesquisa Operacional, 2009.

RIBEIRO, Priscila Cristina Cabral; FERREIRA, Karine Araújo. Logística e Transportes: Uma discussão sobre os modais de transporte e o panorama brasileiro. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 12., 2002, Curitiba. [Anais ...] Curitiba: ABEPRO, 2002. Disponível em:

https://www.researchgate.net/publication/228780462_LOGISTICA_E_TRANSPORTES_UMA_DISCUSSAO_SOBRE_OS_MODAIS_DE_TRANSPORTE_EO_PANORAMA_BRASILEIRO. Acesso em: 28 mar. 2019.

SCHRIBER, Thomas. Simulation using GPSS. 1. ed. New York: Wiley, 1974.

SHANNON, Robert E. Systems simulation: The Art and Science. Englewood Cliffs: Predice-Hall, 1975.

SILVA, Edna Lúcia da; MENEZES, Estera Muszkat. Metodologia da pesquisa e elaboração da dissertação. 4. ed. Florianópolis: UFSC, 2005. Disponível em: www.posarq.ufsc.br/download/metPesq.pdf. Acesso em: 28 abr. 2019.

SILVA, Kalina Santos da. Logística brasileira: um estudo teórico do modal aquaviário (cabotagem). Monografia (Tecnólogo em Gestão Pública) – Universidade Federal da Paraíba – UFPB, João Pessoa, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/1765. Acesso em: 07 fev. 2019.

SILVA, Maurício Randolfo Flores da et al. Logística Portuária: Revisão Sistemática de Literatura utilizando o método PRISMA. In: SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 27., 2020, Bauru. [Anais ....] Bauru: UNESP, 2020. Disponível em: https://simpep.feb.unesp.br/anais_simpep.php?e=15. Acesso em: 11 jan. 2021.

YIN, Robert. Estudo de caso: planejamento e método. 2. ed. São Paulo: Bookman, 2001.




DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v21i1.4214

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


R. Eletr. de Eng. de Produção e Correlatas - ISSN 1676-1901 Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).                           Contato: producaoonline@gmail.com