Proposição de um modelo de gestão para micro e pequenas marcenarias do setor moveleiro

Autores

  • Guilherme Wollmann da Costa Universidade Feevale
  • Bárbara Pisoni Bender Andrade Universidade Feevale
  • Fabio Antonio Sartori Piran Universidade Feevale

DOI:

https://doi.org/10.14488/1676-1901.v21i3.4069

Palavras-chave:

Modelo de gestão, Marcenaria, Setor moveleiro, MPE, Setores, Processos.

Resumo

O objetivo deste artigo é propor um novo modelo de gestão focado especificamente em micro e pequenas marcenarias do setor moveleiro. Para cumprir este objetivo foi utilizado o método de pesquisa da Design Science Research (DSR) na elaboração de um artefato prático que consiga equalizar as dificuldades de subsistência encontradas no segmento e atender às necessidades específicas não contempladas por modelos de gestão genéricos. Além disso, o estudo criado foi amparado na pesquisa bibliográfica de dois marcos teóricos: “Modelos de Gestão” e “Setor moveleiro e suas características” e na análise comparativa de três modelos de gestão selecionados: “Seis Caixas”, “McKinsey 7s” e “Estrela de Galbraith”. O modelo desenvolvido foi chamado de Marcenaria 5A e é composto pela segmentação da empresa em 5 setores: Administrativo, Comercial, PCP, Produção e Execução. O artefato apresenta também os macros processos presentes em cada um dos setores bem como suas relações e fluxos de trabalho e informação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Wollmann da Costa, Universidade Feevale

Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas (ICET),

Bárbara Pisoni Bender Andrade, Universidade Feevale

Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas (ICET),

Fabio Antonio Sartori Piran, Universidade Feevale

Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas (ICET),

Referências

BRASIL. Lei Complementar (LC) nº 123, de 14 de dezembro de 2006, atualizada pela LC nº 155, de 27 de outubro de 2016. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/leicom/2016/leicomplementar-155-27-outubro-2016-783850-publicacaooriginal-151329-pl.html

BURKE, W. Warner; LITWIN, George H.. A causal model of organization performance and change. Journal of Management. Thousand Oaks (EUA), v. 18, n. 3, 1992, p. 523-545. Disponível em: http://www.exeter.ac.uk/media/universityofexeter/humanresources/documents/learningdevelopment/understanding_drivers_for_change.pdf.

CHEAL, Joe. The logical level 7s matrix. 2008. Disponível em: http://gwiznlp.com/Logical%20Levels%207S%20Matrix.pdf.

DRESCH, Aline; LACERDA, Daniel Pacheco; ANTUNES, José Antonio Valle. Design science research: método de pesquisa para avanço da ciência e tecnologia. Porto Alegre: Bookman, 2015. xxii, 181 p.: il.; 25cm

DUTRA, Ademar. Metodologias para avaliar o desempenho organizacional: revisão e proposta de uma abordagem multicritério. 2005. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/2898023.pdf

FEREIRA et al. Relatório de acompanhamento setorial: indústria moveleira. Disponível em: https://www3.eco.unicamp.br/neit/images/stories/arquivos/RelatorioABDI/moveleira_vol-I_junho2008.pdf

FUJITA et al. Breve panorama da indústria moveleira: mercado, design e meio ambiente. 2015. Disponível em: http://www.utfpr.edu.br/curitiba/estrutura-universitaria/diretorias/dirppg/grupos/tema/12breve_panorama_indu_moveleira.pdf>

GALBRAITH, Jay R. Star Model. Central Valley (EUA), 29 fevereiro 2012. Disponível em: http://www.cvapinc.org/files/StarModel.pdf.

GALINARI et al. A competitividade da indústria de móveis do Brasil: situação atual e perspectivas. 2013. Disponível em: https://web.bndes.net/bib/jspui/handle/1408/1516

GORINI, Ana Paula Fontenelle. Panorama do setor moveleiro, com ênfase na competitividade externa a partir do desenvolvimento da cadeia industrial de produtos sólidos de madeira, 1998. Disponível: http://arquivos.sindicatodaindustria.com.br/app/cni_sindicatos/2011/01/10/123/20150819100413531341e.pdf

GUIMARÃES, Andréa Bastos da S; CARVALHO, Kátia C. Medeiros de; PAIXÃO, Luiz Andrés Ribeiro. Micro, pequenas e médias empresas: conceitos e estatísticas. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/8274/1/Radar_n55_micro_pequenas.pdf

HAMID et al.. The analysis of organizational diagnosis on based six box model in universities. 2011. Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1080932.pdf

KILMANN, Ralph H. Beyond the quick fix: managing five tracks to organizational success. San Francisco: Jossey-Bass. https://doi.org/10.1177/017084068600700116

LACERDA at al. Design Science Research: método de pesquisa para a engenharia de produção. Gest. Prod., São Carlos, v. 20, n. 4, p. 741-761, 2013 Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-530X2013000400001&lng=en&nrm=iso.

LEÃO, M. S., NAVEIRO, R. M. Móveis: indústria de móveis mostra competitividade da madeira brasileira. 2010. Disponível: http://www.cgimoveis.com.br/economia/documento.2010-06-08.6642478173/at_download/arquivo

MCMILLAN, Elizabeth. Considering organization structure and design from a complexity paradigm perspective. In: FRIZZELLE, G.; RICHARDS, H. Tackling industrial complexity: the ideas that make a difference. Cambridge, Inglaterra: Institute of Manufacturing, University of Cambridge, 2002, p. 123–136. Disponível em: http://oro.open.ac.uk/2732/.

OCDE - Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. Disponível em: http://www.finep.gov.br/images/apoio-e-financiamento/manualoslo.pdf

RAVANFAR, MM. Analyzing organizational structure based on 7s model of mckinsey. Global Journal of Management And Business Research, oct. 2015. Disponível em: https://journalofbusiness.org/index.php/GJMBR/article/view/1792.

SANTOS et al. Design na indústria brasileira de móveis. 1999. São Paulo: Sebrae/Finep/Abimóvel/Fecamp/Unicamp-IE-Neit.

SILVA, MENEZES. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. rev. atual. – Florianópolis: UFSC. Disponível em: https://projetos.inf.ufsc.br/arquivos/Metodologia_de_pesquisa_e_elaboracao_de_teses_e_dissertacoes_4ed.pdf

VERGHESE, Annie. OD interventions for sustainable excellence in higher education. 2007. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.493.4972&rep=rep1&type=pdf

WATERMAN Jr, Robert H.; PETERS, Thomas J.; PHILLIPS, Julien R. Structure is not Organization. Business Horizions, v. 22. n. 3, p. 14-26. 1980. https://doi.org/10.1016/0007-6813(80)90027-0

WEISBORD, Marvin. Organizational diagnosis, six places to look for trouble with or without a theory. The Journal of group and organizational management, v. 1, n. 4, p. 430-447. 1976. http://dx.doi.org/10.1177/0021886398342003

Publicado

2021-10-16

Como Citar

Costa, G. W. da ., Andrade, B. P. B., & Piran, F. A. S. (2021). Proposição de um modelo de gestão para micro e pequenas marcenarias do setor moveleiro. Revista Produção Online, 21(3), 680–708. https://doi.org/10.14488/1676-1901.v21i3.4069

Edição

Seção

Artigos