Sistematização do projeto informacional de um eletrodo de radiofrequência

Beatriz Araujo Rodrigues, Andrea Cristina Santos, Viviane Vasconcellos Ferreira Grubisic

Resumo


O equipamento médico de rádio frequência (RFA) é utilizado como forma de tratamento do Carcinoma Hepatocelular (CHC). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o CHC é a segunda causa de óbito por câncer no mundo. Dentre as formas de tratamento, existem procedimentos utilizando equipamentos de RFA minimamente invasivos capazes de extinguir tumores em órgãos vitais. Dentro desse contexto, o presente artigo tem como objetivo apresentar a fase de projeto informacional de um eletrodo de radiofrequência. A confiabilidade de um equipamento médico (EM) é um dos principais atributos exigidos por órgãos reguladores de um sistema de saúde, uma vez que o ambiente hospitalar apresenta características singulares. Assim, é feita uma revisão bibliográfica sobre confiabilidade e Processo de Projeto de Equipamentos Médicos (PPEM). Após, com base em uma metodologia de projeto foi possível identificar as necessidades e os requisitos dos clientes, os requisitos do projeto para então definir as especificações – meta do EM. O desenvolvimento do eletrodo de radiofrequência faz parte do projeto Software of Intensive Ablation (SOFIA), da Universidade de Brasília (UnB), financiado pelo Ministério da Saúde. O resultado da fase de projeto informacional, ou seja, as especificações meta servirão de base para o desenvolvimento das fases seguintes do projeto, logo após o resumo, três palavras-chave, as quais devem destacar de modo claro a temática do artigo.


Palavras-chave


Equipamento médico. Confiabilidade. Projeto informacional. Eletrodo de alta frequência.

Texto completo:

PDF ♪ÁUDIO♪

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 5462:1994 - Confiabilidade e mantenabilidade. Rio de Janeiro: ABNT, 1994.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR IEC 60601-2-2 - Equipamento eletromédico parte 2-2: Requisitos particulares para a segurança básica e desem- penho essencial de equipamentos cirúrgicos de alta frequência e acessórios cirúrgicos de alta frequência. Rio de Janeiro: ABNT, 2013.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Catálogo de normas produtos para saúde. 2017. Disponível em: http://www.abnt.org.br/normalizazao/abnt-catalogo . Acesso em: 07 abr. 2017.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR IEC 60601-1-6: Versão Corrigida:2013. Equipamento eletromédico parte 1-6: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial - norma colateral: Usabilidade. Rio de Janeiro: ABNT, 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR IEC 60601-1. Equipamento eletromédico parte 1: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial. Rio de Janeiro: ABNT, 2010. Válida a partir de: 01 de janeiro de 2012.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR IEC 60601-1-2 - Errata 1:2013. Equipamento eletromédico parte 1-2: Requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial – norma colateral: Compatibilidade eletromagnética – requisitos e ensaio. Rio de Janeiro: ABNT, 2013.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR ISO 9001 - Sistemas de gestão da qualidade - requisitos. Rio de Janeiro: ABNT, 2015. Válida a partir de: 30 de outubro de 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR ISO 13485 - Produtos para saúde — sistemas de gestão da qualidade — requisitos para fins regulamentares. Rio de Janeiro: ABNT, 2016.

ALBA, J. et al. Theoretical and experimental study on rf tumor ablation with internally cooled electrodes: when does the roll-off occur? In: IEEE. Engineering in Medicine and Biology Society, EMBC, 2011 Annual International Conference of the IEEE. [S.l.], p. 314–317, 2011. https://doi.org/10.1109/IEMBS.2011.6090082

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Instrução Normativa - IN no. 21. Dispõe sobre os procedimentos de inspeção em boas práticas clínicas para ensaios clínicos com dispositivos médicos em investigação. [S.l.], 02 de outubro de 2017. DOU, n. 190, Seção 1, p.47, 03 de outubro de 2017.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada RDC no. 14 - Institui o regulamento técnico com os requisitos para agrupamento de materiais de uso em saúde para fins de registro e cadastro na anvisa e adota etiquetas de rastreabilidade para produtos implantáveis. [S.l.], 05 de abril de 2011. DOU, n. 69, Seção 1, p. 60, 11 de abril de 2011.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada - RDC no. 56. Os produtos para a saúde devem atender aos requisitos essenciais de segurança e eficácia aplicáveis a estes produtos, referidos no regulamento técnico anexo a esta resolução. [S.l.], 06 de abril de 2001. DOU, n. 70, Seção 1, p. 28, 10 de abril de 2001.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada - RDC no. 156. Dispõe sobre o registro, rotulagem e reprocessamento de produtos médicos, e dá outras providências. [S.l.], 11 de agosto de 2006. DOU, n. 155, Seção 1, p. 25, 14 de agosto de 2006.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada - RE no. 2605. Reprocessamento de produtos para a saúde. [S.l.], 11 de agosto de 2006. DOU, n.155, Seção 1, p. 28, 14 de agosto de 2006.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada -RE no. 3385. Lista de produtos para saúde cujo relatório de informações econômicas deverá ser encaminhado ao núcleo de assessoramento econômico em regulação. [S.l.], 13 de outubro de 2006. DOU, n. 198, Seção 1, 16 de outubro de 2006.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada -RDC no. 27. Institui o protocolo eletrônico para emissão de certificado de produto (certificado de cadastro ou registro de produto para a saúde) e certidão para governo estrangeiro (certidão de cadastro ou registro para exportação de produto para saúde). [S.l.], 15 de maio de 2013. DOU, n. 94, Seção 1, p. 145, 17 de maio de 2013.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Instrução Normativa - IN no. 03. Estabelece e divulga definições adotadas na resolução rdc no. 185, de 13 de outubro de 2006. [S.l.], 18 de janeiro de 2010. DOU, n. 14, Seção 1, p. 45, 21 de janeiro de 2010.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada - RDC no. 27. Dispõe sobre os procedimentos para certificação compulsória dos equipa- mentos sob regime de vigilância sanitâria. [S.l.], 21 de junho de 2011. DOU, n. 119, Seção 1, p. 86, 22 de junho de 2011.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada - RDC no. 22. Aprova os procedimentos comuns para as inspeções nos fabricantes de produtos médicos e produtos para diagnóstico de uso in vitro nos estados partes, e dá outras providências. [S.l.], 23 de abril de 2013. DOU, n. 78, Seção 1, p. 51, 24 de abril de 2013.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Instrução normativa - in nº 49, de 22 de novembro de 2019 - Aprova a lista de normas técnicas, cujos parâmetros devem ser adotados para a certificação de conformidade, no âmbito do sistema brasileiro de avaliação da conformidade (sbac). [S.l.], 24 de setembro de 2015. DOU, n. 184, Seção 1, p. 72, 25 de setembro de 2015.

ANVISA. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada - RDC no. 16. Aprova o regulamento técnico de boas práticas de fabricação de produtos médicos e produtos para diagnóstico de uso in vitro e dá outras providências. [S.l.], 28 de março de 2013. DOU, n. 61, Seção 1, p. 75, 01 de abril de 2013.

BACK, N. et al. Projeto integrado de produtos: planejamento, concepção e modelagem. Barueri: Malone, 2008.

BRASIL, M. da Saúde de. Diretrizes metodológicas: elaboração de estudos para avaliação de equipamentos médico-assistenciais. [S.l.]: Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia, 2013.

CARVALHO, G. F. de et al. Avaliação dos efeitos da radiofrequência no tecido conjuntivo. Revista Brasileira de Medicina, v. 3, p. 10–25, 2011.

CERETTI, E. et al. Biomedical devices: design, prototyping, and manufacturing. [S.l.]: John Wiley & Sons, 2016.

CHEN, C.-C. R.; MIGA, M. I.; JR, R. L. G. Optimizing electrode placement using finite- element models in radiofrequency ablation treatment planning. IEEE transactions on biomedical engineering, IEEE, v. 56, n. 2, p. 237–245, 2009. https://doi.org/10.1109/TBME.2008.2010383

DAS, S. K.; ALMONOR, J. B. A concurrent engineering approach for the development of medical devices. International Journal of Computer Integrated Manufacturing, v. 13, n. 2, p. 139–147, 2000. https://doi.org/10.1080/095119200129984

DHILLON, B. S. Medical device reliability and associated areas. [S.l.]: CRC Press, 2000. https://doi.org/10.1201/9781420042238

EL-HAIK, B.; MEKKI, K. S. Medical device design for six sigma: a road map for safety and effectiveness. [S.l.]: John Wiley & Sons, 2011.

GERMANI, G. et al. Clinical outcomes of radiofrequency ablation, percutaneous alcohol and acetic acid injection for hepatocelullar carcinoma: a meta-analysis. Journal of hepa- tology, v. 52, n. 3, p. 380–388, 2010. https://doi.org/10.1016/j.jhep.2009.12.004

GOMES, M. A. et al. Hepatocellular carcinoma: epidemiology, biology, diagnosis, and therapies. Revista da Associação Médica Brasileira, v. 59, n. 5, p. 514–524, 2013. https://doi.org/10.1016/S2255-4823(13)70511-3

HAEMMERICH, D. Biophysics of radiofrequency ablation. Critical ReviewsTM in Bio- medical Engineering, v. 38, n. 1, 2010. https://doi.org/10.1615/CritRevBiomedEng.v38.i1.50

HEGDE, V.; RAHEJA, D. Design for reliability in medical devices. In: IEEE. Reliability and Maintainability Symposium (RAMS), 2010 Proceedings-Annual. [S.l.], 2010. p. 1–6. ttps://doi.org/10.1109/RAMS.2010.5448077

IANNITTI, D. A. et al. Hepatic radiofrequency ablation. Archives of Surgery, American Medical Association, v. 137, n. 4, p. 422–427, 2002. https://doi.org/10.1001/archsurg.137.4.422

KING, P. H.; FRIES, R. C.; JOHNSON, A. T. Design of biomedical devices and systems. [S.l.]: CRC Press, 2014.

LANTADA, A. D. Handbook on advanced design and manufacturing technologies for bio- medical devices. [S.l.]: Springer, 2013. https://doi.org/10.1007/978-1-4614-6789-2

LEE, J. M. et al. Combined radiofrequency ablation and acetic acid hypertonic saline solution instillation: an in vivo study of rabbit liver. Korean journal of radiology, v. 5, n. 1, p. 31–38, 2004. https://doi.org/10.3348/kjr.2004.5.1.31

LIN, Q.-L. et al. Human reliability assessment for medical devices based on failure mode and effects analysis and fuzzy linguistic theory. Safety science, v. 62, p. 248–256, 2014. https://doi.org/10.1016/j.ssci.2013.08.022

MARQUES, M. P. Desenvolvimento de um eletrodo expansível de níquel-titânio para ablação hepática por radiofrequência. 2017.

MARTINI, F. P. Práticas de manutenção em equipamentos de diagnóstico e terapia em serviços de oftalmologia na cidade de Porto Alegre. 2005.

MEDINA, L. A.; KREMER, G. E. O.; WYSK, R. A. Supporting medical device develop- ment: a standard product design process model. Journal of Engineering Design, v. 24, n. 2, p. 83–119, 2013. https://doi.org/10.1080/09544828.2012.676635

NEELAMKAVIL, J.; PARDASANI, A.; KERNAHAN, M. Traceability in medical devices design & manufacturing. Proceedings of the Canadian Engineering Education Association, 2011. https://doi.org/10.24908/pceea.v0i0.3968

OGRODNIK, P. J. Medical device design: innovation from concept to market. [S.l.]: Academic Press, 2012.

OMDAHL, T. P. Reliability, availability, and maintainability: RAM: dictionary. [S.l.]: American Society for Quality Control, 1988.

OTTO, K. N.; WOOD, K. L. Product design: techniques in reverse engineering and new product development. [S.l.]: Prentice Hall, 2003.

PAHL, G.; BEITZ, W. Engineering design: a systematic approach. [S.l.]: Springer Science & Business Media, 2013.

PENG, T.; O’NEILL, D.; PAYNE, S. A two-equation coupled system for determination of liver tissue temperature during thermal ablation. International Journal of Heat and Mass Transfer, v. 54, n. 9-10, p. 2100–2109, 2011. https://doi.org/10.1016/j.ijheatmasstransfer.2010.12.019

PIETZSCH, J. B. et al. Stage-gate process for the development of medical devices. Journal of Medical Devices, American Society of Mechanical Engineers, v. 3, n. 2, p. 021004, 2009. https://doi.org/10.1115/1.3148836

PUGH, S. Total design: integrated methods for successful product engineering. 1990, 1991.

RABELLO, F. B.; SOUZA, C. D.; JÚNIOR, J. A. F. Update on hypertrophic scar treat- ment. Clinics, v. 69, n. 8, p. 565–573, 2014. https://doi.org/10.6061/clinics/2014(08)11

RAHEJA, D. G.; GULLO, L. J. Design for reliability. [S.l.]: John Wiley & Sons, 2012. https://doi.org/10.1002/9781118310052

ROMERO, M.; CORPART, G. 5 mega trends in latin american heathcare: A look at major shifts in 2018 and for decades to come. In: Global Health Intelligence. [S.l.: s.n.], 2018.

TIONG, L.; MADDERN, G. Systematic review and meta-analysis of survival and disease recurrence after radiofrequency ablation for hepatocellular carcinoma. British Journal of Surgery, v. 98, n. 9, p. 1210–1224, 2011. https://doi.org/10.1002/bjs.7669

WOO, S. Reliability design of mechanical systems: a guide for mechanical and civil engineers. [S.l.]: Springer, 2017. https://doi.org/10.1007/978-3-319-50829-0




DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v20i4.4057

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


R. Eletr. de Eng. de Produção e Correlatas - ISSN 1676-1901 Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).                           Contato: producaoonline@gmail.com