Análise de viabilidade econômica para implantação de sistema fotovoltaico residencial na região de Vila Velha – ES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14488/1676-1901.v21i2.3766

Palavras-chave:

Viabilidade Econômica. Sistema Fotovoltaico. Energia Elétrica. Vila Velha.

Resumo

O constante aumento na tarifa de distribuição de energia elétrica e adoção de bandeiras tarifarias, decorrente da elevação do consumo e a estagnação da capacidade dos reservatórios hidroelétricos, demandando constante acionamento de usinas de fonte alternativas, o que tem gerado um questionamento sobre seus impactos na sociedade e no meio ambiente. Em paralelo, observamos a difusão dos sistemas fotovoltaicos, devido a redução do custo de equipamentos, instalação e um forte apelo ambiental aliado a este tipo de geração limpa. A aplicabilidade do sistema fotovoltaico apresenta viabilidade econômica em todos os casos a longo prazo, porém, não é uma solução absoluta para todos os cenários em relação a energia fornecida pela concessionária distribuidora local em curto prazo. O objetivo deste artigo é analisar a viabilidade econômica da implantação de um sistema fotovoltaico em residências na cidade de Vila Velha - ES, para atingir o objetivo proposto, foi utilizado os cálculos de valor presente líquido (VPL), utilizando como base o melhor cenário momentâneo possível para distribuição por parte da concessionária e a atual situação econômica brasileira, aplicando a Selic atual como taxa de retorno. Os resultados indicam que é viável investir em energia fotovoltaica em residências na região de estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovanni Moreira Corteleti, Universidade Estácio de Sá

Universidade Estácio de Sá

Referências

ABINEE - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica. Propostas para inserção da energia solar fotovoltaica na matriz elétrica brasileira, 2012. Disponível em: http://www.abinee.org.br/informac/arquivos/profotov.pdf. Acesso em: 08 set. 2018.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. ANEEL aprova revisão tarifária da Light (RJ). Disponível em: <http://www.aneel.gov.br/ sala-de-imprensa-exibicao-2/-/asset_publisher/zXQREz8EVlZ6/ content/aneel-aprova-reajuste-tarifario-da-light-rj-/ 656877>.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. Bandeiras Tarifárias. Disponível em: <http://www.aneel.gov.br/bandeiras-tarifarias>.

AGUILAR, R.S; OLIVEIRA, L.C.S; ARCANJO, G.L.F. Energia renovável: os ganhos e os impactos sociais, ambientais e econômicos nas indústrias brasileiras. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 32., 2012. Anais.... Bento Gonçalves. Rio Grande do Sul: UFRGS, 2012.

ALVEZ, G; NASICMENTO, R. Fontes alternativas e renováveis de energia no Brasil: métodos e benefícios ambientais. Disponível em: http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2016/anais/arquivos/0859_1146_01.pdf. Acesso em: 07 fev. 2019.

ANDRADE, M. M. de. Introdução à metodologia do trabalho científico. 8ª Ed. São Paulo: Atlas, 2007.

ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica. Resolução Normativa N°482, 2014. Disponível em: http://www.solenerg.com.br/blog/wp-content/uploads/2012/04/ResolucaoANEEL-2012-482-Fotovoltaica-conectada-a-redeSistema-de-compensacao-de-energia.pdf. Acesso em: 09 jan. 2019.

ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica. Resolução Normativa N°414, 2010. Disponível em: http://www.aneel.gov.br/home?p_p_id=101&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&_101_struts_action=%2Fasset_publisher%2Fview_content&_101_returnToFullPageURL=http%3A%2F%2Fwww.aneel.gov.br%2Fhome%3Fp_auth%3DtKPnkZ9v%26p_p_id%3D3%26p_p_lifecycle%3D1%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_state_rcv%3D1&_101_assetEntryId=15049535&_101_type=content&_101_groupId=656835&_101_urlTitle=grupo-b&inheritRedirect=true Acesso em: 04 abr. 2019.

BANCO CENTRAL. Histórico das taxas de juros, 2018. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/controleinflacao/historicotaxasjuros Acesso em: 18 jan. 2019.

BAPTISTA, A. Análise da Viabilidade Econômica da utilização de aquecedores solares de água em resorts no nordeste do Brasil. 2016. 156f. Dissertação (Mestre em ciências em planejamento energético), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2016.

CALIFORNIA ENERGY COMMISSION. New Solar Homes Partnership Calculator: CECPV Calculator. Disponível em: . Acesso em 27/08/2017.

CÂMARA, C. Sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica. 68 p. Dissertação (Monografia) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2011.

CASARO, M.; MARTINS, D. Processamento eletrônico da energia solar fotovoltaica em sistemas conectados à rede elétrica. Revista Controle & Automação, v. 21, n. 2, p. 159 - 172, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-17592010000200005.

CRESESB - Centro de Referência para Energia Solar e Eólica. Tutorial de energia solar fotovoltaica, 2014. Disponível em: http://www.cresesb.cepel.br/content.php?cid=301. Acesso em: 7 jul. 2018.

CRESESB. Atlas solatimétrico do Brasil, 2000. Disponível em: http://www.cresesb.cepel.br/publicacoes/download/Atlas_Solarimetrico_do_Brasil_2000.pdf. Acesso em: 07 fev. 2019.

EFICIEN. Alemanha é o país com maior investimento em energia solar do mundo, 2014. Disponível em: http://www.eficien.com.br/noticias/alemanha-e-o-pais-com-maiorinvestimento-em-energia-solar-do-mundo/. Acesso em: 12 jan 2018.

EPE. Empresa de Pesquisa Energética. Análise da inserção da geração solar na matriz elétrica brasileira, 2012. Disponível em: http://www.mme.gov.br. Acesso em: 15 fev. 2019.

GIAMPIETRO, U; RACY, J. Viabilidade econômica da energia solar nas áreas rurais do nordeste brasileiro. 12p. Mackenzie, 2004. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enpol.2011.11.055.

HATTENBERGER M. O potencial da energia eólica e solar no Brasil. Swisscam Brasil Magazine. Ed. 66, 2011. Disponível em: www.swisscam.com.br . Acesso em: 29 nov. 2011.

HIDAKA, R. Estudo de viabilidade para racionalização energética do instituto criança cidadã. 11p. Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada. Sustentabilidade ambiental no Brasil: biodiversidade, economia e bem-estar humano. Brasília, Ipea, 2010.

KAUARK, Fabiana. Metodologia da pesquisa: guia prático. Itabuna: Via Litterarum, 58 2010.

KUPFER,D; HASENCLEVER,L. Economia Industrial: fundamentos teóricos e práticas no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013. DOI: https://doi.org/10.1016/B978-85-352-6368-8.00007-4.

LAFAY; STEPHANE, J. Análise energética de sistemas de aquecimento de água com energia solar e gás. 173 p. Dissertação: Doutorado Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

O TEMPO. Tributos fazem valor da conta de energia variar mês a mês, 2015. Disponível em: < http://www.otempo.com.br/capa/economia/tributos-fazem-valor-da-conta-de-energiavariar-m%C3%AAs-a-m%C3%AAs-1.1078723>. Acesso em: 10 fev. 2019.

PALISADE. Simulação de Monte Carlo, 2014. Disponível em: http://www.palisadebr.com/risk/monte_carlo_simulation.asp. Acesso em: 25 jan. 2019.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2. Ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013. 274p.

RAUSCHMAYER, H., GALDINO, M. A. Os Impactos da Regulamentação ANEEL/482 e da Legislação Tributária no Retorno Financeiro de Sistemas Fotovoltaicos Conectados à Rede. In: V Congresso Brasileiro de Energia Solar, Recife. Disponível em: <http://www.solarize.com.br/ downloads/CBENS_impactos_regulamentacao.pdf>.

SANTOS, Antônio Raimundo dos. Metodologia científica: a construção do conhecimento. 6. ed. ver. Rio de Janeiro: DP &A, 2004. 166 P.

SANTOS, F.C.M., SANTOS, F.M.S.M. Geração distribuída versus centralizada. Millenium. Journal of Education, Technologies, and Health, v. 13, n. 35, 2016.

SILVA, R. M. Energia solar no Brasil: dos incentivos aos desafios. Brasília: Núcleo de Estudos e Pesquisas/CONLEG/Senado, fev. 2015 (Texto para Discussão nº 166). P.815. Disponível em: www.senado.leg.br/estudos. Acesso em: 22 abr. 2018.

TEIXEIRA, A; CARVALHO, M; LEITE, L. Análise de viabilidade para a implantação do sistema de energia solar residencial. 20p. Universidade de Belo Horizonte, Belo Horizonte, 2011.

ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica (2016). Relatório de tarifa Média por Classe de Consumo e por Região. Disponível em: http://www.aneel.gov.br/relatorios-tecnicos, Acesso em: Dezembro/2016.

ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica (2017). BIG - Banco de Informação de Geração. Disponível em: http://www.aneel.gov.br/aplicacoes/capacidadebrasil/capacidadebrasil.cfm. Acesso em julho de 2017.

ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica (2017). RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 687. Disponível em: http://www2.aneel.gov.br/cedoc/ren2015687.pdf

GOMES, L. A. E GASPARIN, F. P., 2016. Análise de casos para amortização do financiamento de um sistema fotovoltaico conectado à rede. Anais do VI Congresso Brasileiro de Energia Solar – Belo Horizonte.

JORDAN, D. C. AND KURTZ, S. R. (2013), Photovoltaic Degradation Rates – an Analytical Review. Prog. Photovolt: Res. Appl, 21:12-29.

LABORATÓRIO DE ENERGIA SOLAR DA UFRGS – Labsol (2016). Radiasol 2. Disponível em: http://www.solar.ufrgs.br/#ensino.

NAKABAYASHI, R., Geração Fotovoltaica no Brasil: Viabilidade Econômica, Instituto de Energia e Ambiente da USP, Laboratório de Sistemas Fotovoltaicos, São Paulo, 2015.

Publicado

2021-07-16

Como Citar

Corteleti, G. M., & Santos, A. C. (2021). Análise de viabilidade econômica para implantação de sistema fotovoltaico residencial na região de Vila Velha – ES. Revista Produção Online, 21(2), 415–436. https://doi.org/10.14488/1676-1901.v21i2.3766

Edição

Seção

Artigos