Prognóstico da gestão dos resíduos sólidos urbanos de uma cidade de médio porte: estimativa de impactos ambientais

Luiz Neto Paiva e Silva Muller, João Bosco Furtado Arruda, Rosane Lúcia Chicarelli Alcantara, Lucas Rodrigues Deliberador

Resumo


A busca por um sistema de gestão de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) sustentável é um desafio para gestores municipais. Para isso, é necessário inicialmente entender o atual sistema de gestão e seus futuros resultados. Este trabalho teve o objetivo de realizar o prognóstico do atual sistema de gestão de RSU do município de Juazeiro do Norte no Ceará. O estudo é quantitativo e utilizou métodos quantitativos de modelagem para estimar, em um período de 20 anos (2016 a 2035), impactos ambientais de ocupação de área por aterro e de emissão de gás metano (CH4) e de gás carbônico (CO2). Os resultados apontam que, caso nada seja feito, os RSU coletados e enterrados no aterro do município, entre 2016 e 2035, ocuparão uma área equivalente a 20 campos de futebol (147.140 m2) e emitirão aproximadamente 153.300 e 420.600 toneladas de CH4 e CO2, respectivamente, que se estenderão por 40 anos. Os resultados dessa pesquisa destacam um cenário futuro preocupante que pode e deve ser mitigado através do planejamento e implementação de alternativas de mudanças do atual sistema de gestão de RSU da região. 


Palavras-chave


Resíduos sólidos urbanos. Prognóstico. Impactos ambientais. Efeito estufa. Juazeiro do Norte.

Texto completo:

PDF ♪ÁUDIO♪

Referências


ABRELPE - Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil 2011. 2012. São Paulo, SP.

ABRELPE - Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil 2012. 2013. São Paulo, SP.

ABRELPE - Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil 2013. 2014. São Paulo, SP.

ABRELPE. Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil 2014. 2015. São Paulo, SP.

ABRELPE. Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil 2015. 2016. São Paulo, SP.

ABRELPE. Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama dos resíduos sólidos no Brasil 2016. 2017. São Paulo, SP.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da União, 3 de agosto de 2010. Seção 1, Atos do Poder Legislativo. Imprensa Nacional.

BRUNNER, P. H.; RECHBERGER, H. Waste to energy - key element for sustainable waste management. Waste Management, v. 37, p. 3 – 12, 2015. https://doi.org/10.1016/j.wasman.2014.02.003

CEWEP. Confederation of European Waste to Energy Plants. Heating and lighting the way to sustainable future: energy efficiency and climate protection. 2013. Disponível em: http://www.cewep.eu/m_1073. Acesso em: 16 maio 2017.

CHANG, N. B.; PIRES, A. Sustainable solid waste management: a systems engineering approach. New Jersey: IEEE Wiley, 2015. https://doi.org/10.1002/9781119035848

CHATTOPADHYAY, S.; DUTTA, A.; RAY, S. Municipal solid waste management in Kolkata, India - a review. Waste Management, v. 29, n. 4, p. 1449 –1458, 2009. https://doi.org/10.1016/j.wasman.2008.08.030

CHO, H. S.; MOON, H. S.; KIM, J. Y. Effect of quantity and composition of waste on the prediction of annual methane potential from landfills. Bioresource Technology, v. 109, p. 86 – 92, 2012. https://doi.org/10.1016/j.biortech.2012.01.026

CHRISTENSEN, T. H. Solid waste technology and management. Chichester, UK: John Wiley & Sons. 2011. https://doi.org/10.1002/9780470666883

COMLURB. Companhia Municipal de Limpeza Urbana. Caracterização gravimétrica dos resíduos sólidos domiciliares do município do Rio de Janeiro. Prefeitura do Rio de Janiero. 2005. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/comlurb. Acesso em: 11 maio 2016.

CREMIATO, R. et al. Environmental impact of municipal solid waste management using Life Cycle Assessment: The effect of anaerobic digestion, materials recovery and secondary fuels production. Renewable Energy, v. 124, p. 180 –188, 2018. https://doi.org/10.1016/j.renene.2017.06.033

DA SILVA, L. A. A.; PIMENTA, H. C. D.; CAMPOS, L. M. DE S. C. Logística reversa dos resíduos eletrônicos do setor de informática : realidade , perspectivas e desafios na cidade do Natal-RN. Revista Produção Online, v. 13, n. 2, p. 544–576, 2013. https://doi.org/10.14488/1676-1901.v13i2.1133

DEHGHANIFARD, E.; DEHGHANI, M. H. Evaluation and analysis of municipal solid wastes in Tehran, Iran. MethodsX, v. 5, n. February, p. 312–321, 2018. https://doi.org/10.1016/j.mex.2018.04.003

DICKEL, P. R. G. et al. Uso da logística reversa para descarte de lâmpadas fluorescentes à luz da pnrs: o caso do instituto federal de educação do Rio Grande do Sul. Revista Produção Online, v. 18, n. 1, p. 265–284, 2018. https://doi.org/10.14488/1676-1901.v18i1.2766

DINIZ, G. M.; ABREU, M. C. S. DE. Disposição (ir)responsável de resíduos sólidos urbanos no estado do Ceará: desafios para alcançar a conformidade legal. Revista de gestão social e ambiental, v. 12, n. 2, p. 21–38, 2018. https://doi.org/10.24857/rgsa.v12i2.1412

FADE. Análise das diversas tecnologias de tratamento e disposição final de resíduos sólidos urbanos no Brasil , Europa , Estados Unidos e Japão. Grupo de resíduos sólidos, UFPE/BNDES. 2014.

FEAM. Fundação Estadual de Meio Ambiente. Estudo do estado da arte e análise de viabilidade técnica, econômica e ambiental da implantação de uma usina de tratamento térmico de resíduos sólidos urbanos com geração de energia elétrica no estado de Minas Gerais: relatório 1 - estado da arte do tratamento térmico de resíduos sólidos urbanos com geração de energia elétrica. 2.ed. Belo Horizonte. 2010.

FEITOSA, I. S. C. DE S.; DA SILVA, G. L. Análise do processo produtivo e capacidade operacional de uma organização de coleta seletiva de resíduos sólidos. Revista Produção Online, v. 18, n. 4, p. 1344–1373, 2018. https://doi.org/10.14488/1676-1901.v18i4.2945

GHINEA, C. et al. Forecasting municipal solid waste generation using prognostic tools and regression analysis. Journal of Environmental Management, v. 182, p. 80–93, 2016. https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2016.07.026

GHOSH, S. K. Paradigm shift for a total waste management in developing in India. In: Proceedings of the fourth international conference on solid waste management. p. 3–12. 2014.

GIUSTI, L. A review of waste management practices and their impact on human health. Waste Management, v. 29, n. 8, p. 2227–2239, 2009. https://doi.org/10.1016/j.wasman.2009.03.028

GOLLAPALLI, M.; KOTA, S. H. Methane emissions from a landfill in north-east India: Performance of various landfill gas emission models. Environmental Pollution, v. 234, p. 174–180, 2018. https://doi.org/10.1016/j.envpol.2017.11.064

GOPU, C. et al. Valorizing municipal solid waste: Waste to energy and activated carbons for water treatment via pyrolysis. Journal of Analytical and Applied Pyrolysis, v. 133, p. 48–58, 2018. https://doi.org/10.1016/j.jaap.2018.05.002

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estimativas populacionais para os municípios e para as unidades da federação brasileiras em 01.07.2015. 2015. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Estimativas_de_Populacao /Estimativas_ 2015/estimativa _dou_2015 _20150915.xls. Acesso em: 05 out. 2015.

KARANJEKAR, R. V. et al. Estimating methane emissions from landfills based on rainfall, ambient temperature, and waste composition: the CLEEN model. Waste Management, v. 46, p. 389–398, 2015. https://doi.org/10.1016/j.wasman.2015.07.030

KUMAR, A.; SHARMA, M. P. Estimation of GHG emission and energy recovery potential from MSW landfill sites. Sustainable Energy Technologies and Assessments, v. 5, p. 50–61, 2014. https://doi.org/10.1016/j.seta.2013.11.004

LI, Y. et al. Waste incineration industry and development policies in China. Waste Management, v. 46, p. 234–241, 2015. https://doi.org/10.1016/j.wasman.2015.08.008

LIU, Y. et al. Odor impact assessment of trace sulfur compounds from working faces of landfills in Beijing, China. Journal of Environmental Management, v. 220, n. January, p. 136–141, 2018. https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2018.04.122

LOMBARDI, L.; CARNEVALE, E.; CORTI, A. A review of technologies and performances of thermal treatment systems for energy recovery from waste. Waste Management, v. 37, p. 26–44, 2015. https://doi.org/10.1016/j.wasman.2014.11.010

MAKARICHI, L.; JUTIDAMRONGPHAN, W.; TECHATO, K. ANAN. The evolution of waste-to-energy incineration: A review. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 91, p. 812–821, 2018. https://doi.org/10.1016/j.rser.2018.04.088

MORABITO NETO, R.; PUREZA, V. Modelagem e Simulação. In: MIGUEL, P. A. C. (Org.). Metodologia de Pesquisa em Engenharia de Produção e Gestão de Operações. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 169 - 198, 2012.

PIAZ, J. F. D.; FERREIRA, G. M. V. Gestão de resíduos sólidos domiciliares urbanos: o caso do município de Marau - RS. Revista de gestão social e ambiental, v. 5, n. 1, p. 33–47, 2011. https://doi.org/10.5773/rgsa.v5i1.248

SEMASP. Secretaria de Meio Ambiente Agricultura e Serviços Públicos. Plano de gestão integrada de resíduos sólidos urbanos - PGIRSU. Secretaria de Meio Ambiente Agricultura e Serviços Públicos Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano. Juazeiro do Norte, Ceará. 2013.

THAKUR, P.; GANGULY, R.; DHULIA, A. Occupational Health Hazard Exposure among municipal solid waste workers in Himachal Pradesh, India. Waste Management, v. 78, p. 483–489, 2018. https://doi.org/10.1016/j.wasman.2018.06.020

TURNER, D. A.; KEMP, S.; WILLIAMS, I. Carbon footprinting in the UK waste management sector. Carbon Management, v. 2, n. 6, p. 677–690, 2011. https://doi.org/10.4155/cmt.11.67

USEPA. United States Environmental Protection Agency. Landfill gas emissions model v.3.02. 2005. Disponível em: http://www.epa.gov/ttn/catc/dir1/ landgem-v302.xls. Acesso em: 09 dez. 2015.

VAN FAN, Y. et al. Anaerobic digestion of municipal solid waste: energy and carbon emission footprint. Journal of environmental management, v. 223, p. 888-897, 2018. https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2018.07.005

WILSON, D. C. Development drivers for waste management. Waste Management and Research, v. 25, n. 3, p. 198–207, 2007. https://doi.org/10.1177/0734242X07079149

WORLD BANK. Countries: página institucional. 2014. Disponível em: http://www.worldbank.org/en/country. Acesso em: 02 maio 2017.

YANG, D. et al. Inventories and reduction scenarios of urban waste-related greenhouse gas emissions for management potential. Science of the Total Environment, v. 626, p. 727–736, 2018. https://doi.org/10.1016/j.scitotenv.2018.01.110

YOUNES, M. K. et al. Landfill area estimation based on integrated waste disposal options and solid waste forecasting using modified ANFIS model. Waste Management, v. 55, p. 3–11, 2016. https://doi.org/10.1016/j.wasman.2015.10.020




DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v19i4.3550

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


R. Eletr. de Eng. de Produção e Correlatas - ISSN 1676-1901 Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).                           Contato: producaoonline@gmail.com