Análise da sustentabilidade de empresas: uma aplicação da análise envoltória de dados

Denise Helena Lombardo Ferreira

Resumo


Essa pesquisa apresenta uma análise da eficiência no tocante à sustentabilidade de oito empresas, denominadas por A, B, C, D, E, F, G e H, de diversos segmentos, por meio da metodologia Análise Envoltória de Dados (DEA) tendo em vista os parâmetros: faturamento, número de funcionários, dimensões – geral, econômica, social e ambiental, elucidados pela Revista Exame – Guia Exame Sustentabilidade para os períodos de 2012 a 2014. A metodologia DEA faz uso de programação matemática e de uma fronteira não-paramétrica de eficiência. O objetivo é verificar se a eficiência das empresas selecionadas se mantém ao longo dos anos 2012, 2013 e 2014, segundo os parâmetros considerados. Para a aplicação da DEA foram definidos o input como número de funcionários e os outputs dimensões geral, econômica, social, ambiental e faturamento. Os resultados mostraram que apenas as empresas C, do ramo de serviços e E, do segmento de material de construção, preservaram as suas eficiências ao longo desses períodos, dentre as empresas avaliadas neste estudo.

Palavras-chave


Análise Envoltória de Dados. Sustentabilidade. Eficiência de empresas.

Texto completo:

PDF ♪ÁUDIO♪

Referências


ABREU, A. C S.; LUIZ, G.; GALINDRO, B. M.; BORGERT, A.; BELLEN, H. M. V. Gastos ambientais e níveis de atividades potencialmente poluidoras nas empresas do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBOVESPA. Revista Gestão&Sustentabilidade Ambiental, v. 5, n. 1, p. 267-290, 2016. http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v6e220171-3

ALI, A. I. Streamlined computation for data envelopment analysis. European Journal of Operational Research, v. 64, p. 61-67, 1993. https://doi.org/10.1016/j.ejor.2018.05.039

ANGULO MEZA, L.; BIONDI NETO, L.; RIBEIRO, P. G. SIAD v. 2.0. Sistema Integrado de Apoio à Decisão: Uma Implementação computacional de modelo de Análise Envoltória de Dados e um método Multicritério. SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PESQUISA OPERACIONAL, 37., 2005. Anais… Gramado, RS, 2005.

BANKER, R. D.; CHARNES, A.; COOPER, W. W. Some models for estimating technical scale inefficiencies in Data Envelopment Analysis. Management Science, v. 30, n. 9, p. 1078-1092, 1984. https://doi.org/10.1287/mnsc.1030.0181

BOFF, L. Sustentabilidade: o que é, o que não é. Petropólis: Vozes, 2012.

BRUNDTLAND, G.; KHALID, M.; AGNELLI, S.; AL-ATHEL, S.; CHIDZERO, B.; FADIKA, L.; SINGH, M. Report of the world commission on environment and development: our common future. Transmitted to the General Assembly as an Annex to document A/42/427-Development and International Cooperation: Environment, 1987. Disponível em: http://www.un-documents.net/wced-ocf.htm. Acesso em :15 maio 2018.

CASADO, F. L.; SILUK, J. C. M. Avaliação da eficiência técnica de instituições públicas através da utilização de indicadores de governança. ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 31., 2011. Anais... 2011.

CHARNES, A; COOPER, W. W; RHODES, E. Measuring the efficiency of decision-making units. European Journal of Operational Research, v. 2, p. 429-444, 1978. https://doi.org/10.1016/j.ejor.2018.05.039

COLIN, E. C. Pesquisa operacional. Rio de Janeiro: LTC, 2007.

CMMAD – Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Nosso futuro comum. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1988.

DELAI, I.; E TAKAHASHI, S. Uma proposta de modelo de referência para mensuração da sustentabilidade corporativa. RGSA – Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 2, p. 19-40, 2008. http://dx.doi.org/10.24857/rgsa.v12i1.1388

GES Guia Exame Sustentabilidade, 2013.

GES Guia Exame Sustentabilidade, 2014.

GES Guia Exame Sustentabilidade, 2015.

GOMES, E. G.; SOARES de. MELLO, J. C. C.; SOUZA, G. D. S.; ÂNGULO MEZA, L.; MANGABEIRA, J. A. D. C. Efficiency and sustainability assessment for a group of farmes in the Brazilian Amazon. Annals of Operations Research, v. 169, n. 1, p. 167-181, 2009.

ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial. Disponível em: http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/produtos/indices/indices-de-sustentabilidade/indice-de-sustentabilidade-empresarial-ise.htm. Acesso em: 14 ago. 2018.

Instituto Ethos. Indicadores Ethos. Disponível em:

WRViko>. Acesso em: 22 ago. 2018.

LEONETI, A.; NIRAZAWA, A. OLIVEIRA, S. Proposta de índice de sustentabilidade como instrumento de autoavaliação para micro e pequenas empresas (MPEs). REGE – Revista de Gestão, v. 23, n. 4, p. 349-361, 2016. https://doi.org/10.5700/rege528

LETTA, F. R.; SOARES DE MELLO, J. C. C. B.; GOMES, E. G.; ANGULO MEZA, L. Métodos de melhora de ordenação em DEA aplicados à avaliação estática de tornos mecânicos. Investigação Operacional, v. 25, p. 229-242, 2005.

MACEDO, M. A. S.; CÍPOLA, F. C.; FERREIRA, A. F. R. Análise do Desempenho Organizacional sob as Perspectivas Sócio-Ambiental e de Imagem Corporativa: um estudo apoiado em DEA sobre os seis maiores bancos no Brasil. REGE – Revista de Gestão, n. especial, v. 15, p. 1-16, 2008 https://doi.org/10.5700/rege528

MELLO, J. C. C. B. S. de; ANGULO-MEZA, L.; GOMES, E. G.; FERNANDES, A. J. S. BONDI NETO, L. Estudo não paramétrico da relação entre consumo de energia, renda e temperatura. IEEE Latin America Transactions, v 6, n. 2, p. 153-161, 2008.

MUGA, H. E.; MIHELCIC, J. R. Sustainability of wastewater treatment technologies. Journal of Environmental Management, v. 88, p.437-447, 2008.

SILVA JÚNIOR, R. D.; FERREIRA, L. C.; LEWINSOHN, T. M. Entre hibrismos e polissemias: para uma análise sociológica das sustentabilidades. Ambiente&Sociedade, v. 18, p. 35-54, 2015. http://dx.doi.org/10.1590/1809-4422ASOC135480V1922016

TEIXEIRA, M. G. C., BESSA, E. da S. Estratégias para compatibilizar desenvolvimento econômico e gestão ambiental numa atividade produtiva local [Edição Especial]. Revista de Administração Contemporânea, v. 13, p. 1-18, 2009.

ZUANAZZI, F. A.; HABAS, R. F.; BARICELLO, R.; DEIMLING, M. F. Desenvolvimento de um modelo para avaliar a sustentabilidade nas micro e pequenas empresas. Revista Gestão&Sustentabilidade Ambiental, v. 5, n. 1, p. 163–180, 2016. http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v6e220171-3

WCED - World Commission on Environment and Development. Our commom future. Oxford: Oxford University Press, 1987. Disponível em: http://www.un-documents.net/our-common-future.pdf. Acesso em: 06 set. 2018.

WORLDWATCH INSTITUTE. 28º Relatório Anual Estado do Mundo, 2012. Estado do Mundo 2012 - Rumo à prosperidade sustentável Rio+20. Disponível em: http://www.ecodesenvolvimento.org/biblioteca/livros/estado-do-mundo-2012-rumo-a-prosperidade. Acesso em: 06 ago. 2018.




DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v19i1.3439

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


R. Eletr. de Eng. de Produção e Correlatas - ISSN 1676-1901 Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).                           Contato: producaoonline@gmail.com