Um panorama brasileiro sobre a implementação de estratégias de manufatura

André Luiz Gazoli de Oliveira, Sérgio Eduardo Gouvêa da Costa, Edson Pinheiro de Lima

Resumo


O Brasil é um país que historicamente possui uma baixa produtividade. De Negri & Cavalcanti (2014, 2015), ao realizarem um estudo sobre a produtividade da indústria brasileira, identificaram que possíveis fatores para a baixa produtividade da indústria nacional estão relacionados com as práticas gerenciais. Para melhorar as práticas gerenciais e, consequentemente, melhorar a produtividade, pode-se implementar Estratégias de Manufatura. Com base nisso, este artigo apresenta uma Revisão Sistemática de Literatura (RSL) em revistas brasileiras com o objetivo de identificar as características do processo de Implementação de Estratégias de Manufatura (IEM), relacionado com três categorias: Sistemática (passos), Fatores Críticos de Sucesso (FCS) e Ferramentas / Práticas adotadas. Além disso, pode-se identificar uma tendência de crescimento das publicações em IEM, assim como a definição dos autores que desenvolvem pesquisas na área e também os temas relacionados com a IEM. Por fim, são sugeridas diretrizes para o desenvolvimento de frameworks de IEM.


Palavras-chave


Estratégia de Produção. Estratégia de Operações. Implementação. Revisão Sistematizada de Literatura. Brasil.

Texto completo:

PDF ♪ÁUDIO♪

Referências


ACUR, N.; BITITCI, U. A balanced approach to strategy process, International Journal of Operations and Production Management, v. 24, n. 4, p. 388-408, 2004. https://doi.org/10.1108/01443570410524659

AL-GHAMDI, S. M. Obstacles to successful implementation of strategic decisions: the British experience, European Business Review, v. 98, n. 6, p. 322-327, 1998. https://doi.org/10.1108/09555349810241590

ALVES FILHO, A. G.; NOGUEIRA, E.; BENTO, P. E. G. Análise das estratégias de produção de seis montadoras de motores para automóveis. Gestão & Produção, v. 18, n. 3, p. 603-618, 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-530X2011000300012

CARVALHO, M. M.; HO, L. L.; PINTO, S. H. B. Implementação e difusão do programa Seis Sigma no Brasil, Production, v. 17 n. 3, p. 486-501, 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65132007000300007

CERRA, A. L.; BONADIO, P. V. G. As relações entre estratégia de produção, TQM (Total Quality Management ou Gestão da Qualidade Total) e JIT (Just-in-Time): estudos de caso em uma empresa do setor automobilístico e em dois de seus fornecedores, Gestão & Produção, v. 7, n. 3, p. 305-319, 2000. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2000000300008

CNI – Confederação Nacional da Indústria. A Indústria em Números, 2015. Disponível em: http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/cni_estatistica_2/2015/02/11/165/Industria_Numeros_jul2016_MOBILE.pdf?r=0.933288273923. Acesso em: 05 jul. 2016.

DE NEGRI, F.; CAVALCANTI, L. R. Produtividade no Brasil: desempenho e determinantes. Brasília, ABDI: IPEA, 2014. Disponível em: http://ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_produtividade_no_brasil.pdf. Acesso em: 05 jul. 2016.

DE NEGRI, F.; CAVALCANTI, L. R. Produtividade no Brasil: desempenho e determinantes. Volume 2: Determinantes. Brasília, ABDI: IPEA, 2015. Disponível em: http://ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_produtividade_no_brasil.pdf. Acesso em: 05 jul. 2016.

FARIA FERNANDES, F. C.; GRACIA, E.; DA SILVA, F. M.; FILHO, M. G. Proposta de um método para atingir a manufatura responsiva na indústria de calçados: implantação e avaliação por meio de uma pesquisa-ação, Gestão & Produção, v. 19, p. 509-529, 2012. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2012000300006

FERREIRA, K. A.; ALCÂNTARA, R. L. C. Abordagens para aplicação da estratégia de postponement: estudo multicaso em empresas da indústria de alimentos. Gestão & Produção, v. 20, n. 2, p.357-372, 2013. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2013000200008

FERREIRA, K. A.; ALCÂNTARA, R. L. C. Direcionadores da adoção de estratégias de postponement: estudo multicaso em empresas da indústria de alimentos. Production, v. 23, n. 4, p. 818-831, 2013b. https://doi.org/10.1590/S0103-65132012005000089

FINE, C. H.; HAX, A. C. Manufacturing Strategy: A methodology and an illustration. Interfaces, v. 15, n. 6, p. 28-46, 1985. https://doi.org/10.1287/inte.15.6.28

FMI – Fundo Monetário Internacional. IMF Data. 2016. Disponível em: http://www.imf.org/en/Data. Acesso em: 05 jul. 2016.

GRUNDY, T. Strategy implementation and project management, International Journal of Project Management, v. 16, n. 1, p. 43-50, 1998. https://doi.org/10.1016/S0263-7863(97)00016-1

GUIMARÃES, T.; BOND, W. Empirically assessing the impact of business process reengineering on manufacturing firms. Gestão & Produção, v. 3, n. 1, p. 8-32, 1996. https://doi.org/10.1590/S0104-530X1996000100001

GUNN, T. G. Manufacturing for Competitive Advantage: becoming a world class manufacturer. Massachusetts: Ballinger Publishing Company, 1987.

HAIR, J. F. et al. Essentials of business research methods. Hoboken, NJ: Wiley, 2003.

HAYES, R. H.; Wheelwright, S. C. Restoring our competitive edge: competing through manufacturing. USA: John Wiley & Sons Inc., 1984.

HIGGINS, J. P. T.; Green, S. Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions, The Cochrone Collaboration. 2011. Disponível em: http://handbook.cochrane.org/. Acesso em: 03 ago. 2016.

Hill, T. J. Manufacturing strategy: text and cases. Irwin, Homewood, IL, 2000. https://doi.org/10.1007/978-1-349-14018-3

HOFER, C. W.; SCHENDEL, D. Strategy formulation: analytical concepts. Saint Paul, Minnesota: West Publishing Co, 1978.

IMD World Competitive Center. IMD World Competitiveness Ranking. 2016. Disponível em: http://www.imd.org/wcc/news-wcy-ranking/. Acesso em: 05 jul. 2016.

JOSHI, M. P.; KATHURIA, R.; PORTH, S. J. Alignment of strategic priorities and performance: an integration of operations and strategic management perspectives, Journal of Operations Management, v. 21, n. 3, p. 353-369, 2003. https://doi.org/10.1016/S0272-6963(03)00003-2

KETOKIVI, M.; SCHROEDER, R. Manufacturing practices, strategic fit and performance: a routine-based view, International Journal of Operations & Production Management, v. 24, n. 2, p. 171-191, 2004. https://doi.org/10.1108/01443570410514876

LAVARDA, R. A. B.; CANET-GINER, M.T.; PERIS-BONET, F. J. How middle managers contribute to strategy formation process: connection of strategy processes and strategy practices. Revista de Administração de Empresas, v. 50, n. 4, p. 358-370, 2010. https://doi.org/10.1590/S0034-75902010000400002

LEAN ADVANCEMENT INITIATIVE. Lean enterprise self-assessment tool (LESAT) Version 1.0. 2001. Disponível em: http://hdl.handle.net/1721.1/81903.

LEAN ADVANCEMENT INITIATIVE. LAI enterprise self-assessment tool (LESAT) V.2. 2012. Disponível em: http://hdl.handle.net/1721.1/84688.

LEONG, G. K.; SNYDER, D. L.; WARD, P. T. Research in the process and contend of manufacturing strategy. OMEGA International Journal of Management Science, v. 18, n. 2, p. 109-122, 1990. https://doi.org/10.1016/0305-0483(90)90058-H

LIRA, A. C. Q.; GOMES, M. L. B.; CAVALCANTI, V. Y. S. L. Modelo de alinhamento estratégico de produção – MAP: contribuição teórica para a área de estratégia de produção, Production, v. 25, n. 2, p. 416-427, 2015. https://doi.org/10.1590/0103-6513.069911

MACHADO, A. G. C.; DE MORAES, W. F. A. Estratégias de customização em massa implementadas por empresas brasileiras, Production, v. 18, n. 1, p. 170-183, 2008. https://doi.org/10.1590/S0103-65132008000100013

MARODIN, G. A.; SAURIM, T. A.; TEN CATEN, C. S. Identificação e classificação de riscos na implantação da PE, Production, v. 25, n. 4, p. 911-925, 2015. https://doi.org/10.1590/0103-6513.033011

MARUCHECK, A.; PANNESI, R.; ANDERSON, C. An exploratory study of the manufacturing strategy process in practice, Journal of Operations Management, vol. 9, n. 1, p. 101-123, 1990. https://doi.org/10.1016/0272-6963(90)90148-7

MAURICIO, A. L.; JABBOUR, A. B. L. S. Fatores críticos de sucesso à adoção de GSCM: estudo de casos no setor de baterias automotivas. Gestão & Produção, v. 24, n. 1, p. 78-94, 2017. https://doi.org/10.1590/0104-530x2267-16

MILLER, S. S. Competitive Manufacturing: using productions as a management tool. Van Nostrand Reinhold, Wokingharn, 1988.

MIÑARRO-VISERAS, E. Development and Assessment of a Methodology for the Implementation of Strategic Manufacturing Initiatives, EngD Thesis, Cranfield University, United Kingdom, 2004. https://doi.org/10.1108/01443570510577010

MIÑARRO-VISERAS, E.; BAINES, T.; SWEENEY, M. Key success factors when implementing strategic manufacturing initiatives, International Journal of Operations & Production Management, v. 25, n. 2, p. 151-79, 2005. https://doi.org/10.1108/01443570510577010

PAIVA, E. L.; HEXSEL, A. E. Contribuição da Gestão de Operações para Internacionalização de Empresas, RAC, v. 9, n. 4, p. 73-95, 2005. https://doi.org/10.1590/S1415-65552005000400005

PLATTS, K. W.; GREGORY, M. J. Manufacturing Audit in the Process of Strategy Formulation, International Journal of Operations & Production Management, v. 10, n. 9, p. 5-26, 1990. https://doi.org/10.1108/EUM0000000001264

PLATTS, K. W.; MILLS, J. F.; BOURNE, M. C.; NEELY, A. D.; RICHARDS, A. H.; GREGORY, M. J. Testing manufacturing strategy formulation processes. International Journal of Production Economics, v. 56-57, p. 517-523, 1998. https://doi.org/10.1016/S0925-5273(97)00134-5

SANTOS, L. C. Um modelo para a formulação da estratégia de operações de serviços. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2006.

SAURIM, T. A.; FERREIRA, C. F. Avaliação qualitativa da implantação de práticas da PE: estudo de caso em uma fábrica de máquinas agrícolas, Gestão & Produção, v. 15, n. 3, p. 449-462 2008. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2008000300003

SAURIM, T. A.; RIBEIRO, J. L. D.; MARODIN, G. A. Identificação de oportunidades de pesquisa a partir de um levantamento da implantação da Produção Enxuta em empresas do Brasil e do exterior. Gestão & Produção, v. 17, n. 4, p. 829-841, 2010. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2010000400015

SCHMITZ, J.; PLATTS, K. W. Supplier logistics performance measurement: indications from a study in the automotive industry, International Journal of Production Economics, v. 89, n. 2, p. 231-243, 2004. https://doi.org/10.1016/S0925-5273(02)00469-3

SCHONBERGER, R. J. Fabricação classe universal: as lições de simplicidade aplicadas. São Paulo: Pioneira, 1988.

SILVA FILHO, J. C. G.; CALABRIA, F. A.; SILVA, G. C. S.; MEDEIROS, D. D. Aplicação da Produção mais Limpa em uma empresa como ferramenta de melhoria contínua. Production, v. 17, n. 1, p. 109-128, 2007. https://doi.org/10.1590/S0103-65132007000100008

SILVA, I. B.; MIYAKE, D. I.; BATOCCHIO, A.; AGOSTINHO, O. L. Integrando a promoção das metodologias Lean Manufacturing e Six Sigma na busca de produtividade e qualidade numa empresa fabricante de autopeças. Gestão & Produção, v. 18, n. 4, p. 687-704, 2011. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2011000400002

SLACK, N.; CHAMBERS, S.; HARLAND, C.; HARRISON, A.; JOHNSTON, R. Administração da Produção. São Paulo: Atlas, 1997.

SLACK, N. Vantagem competitiva em manufatura: atingindo competitividade nas operações industriais. São Paulo: Atlas, 1993.

SOUZA, F. B.; BAPTISTA, H. R. Proposta de avanço para o método Tambor-Pulmão-Corda Simplificado aplicado em ambientes de produção sob encomenda. Gestão & Produção, v. 17, n. 4, p. 735-746, 2010. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2010000400008

SUTHERLAND, J. Scrum: a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo. São Paulo: LeYa, 2014.

SYVERSON, C. What determines Productivity? Journal of Economic Literature, v. 49, n. 2, p. 326-365, 2011. https://doi.org/10.1257/jel.49.2.326

VIVAN, A. L.; ORTIZ, F. A. H.; PALIARI, J. C. Modelo para o desenvolvimento de projetos kaizen para a indústria da construção civil. Gestão & Produção, v. 23, n. 2, p. 333-349, 2016. https://doi.org/10.1590/0104-530x2102-15

VOSS, C. A. Alternative paradigms for manufacturing strategy, International Journal of Operations & Production Management, v. 15, n. 4, p. 5-16, 1995. https://doi.org/10.1108/01443579510083587

VOSS, C. A. Paradigms of manufacturing strategy re-visited, International Journal of Operations & Production Management, v. 25, n. 12, p. 1223-1227, 2005. https://doi.org/10.1108/01443570510633620

VOTTO, R. G.; FARIA FERNANDES, F. C. Produção Enxuta e Teoria das Restrições: proposta de um método para implantação conjunta na Indústria de Bens de Capital sob Encomenda. Gestão & Produção, v. 21, n. 1, p. 45-63, 2014. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2013005000009

WHEELWRIGHT, S. C.; BOWEN, K. The Challenge of Manufacturing Advantage, Production and Operations Management, v. 5, n. 1, 1996. https://doi.org/10.1111/j.1937-5956.1996.tb00385.x

WOMACK, J. P.; JONES, D. T. A mentalidade enxuta nas empresas: elimine o desperdício e crie riqueza. 8. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2005.




DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v20i1.3429

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


R. Eletr. de Eng. de Produção e Correlatas - ISSN 1676-1901 Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).                           Contato: producaoonline@gmail.com