Desenvolvimento e análise de regras de sequenciamento da produção para minimização de medidas de atraso em flow shop com tempos de setup

Tatiane Carvalho Silva, Helio Yochihiro Fuchigami

Resumo


As regras de sequenciamento são métodos de programação da produção que possuem como vantagens, dentre outras, sua fácil implementação e simples compreensão. Neste sentido, este trabalho tem como objetivo o desenvolvimento de novas regras de sequenciamento para a minimização de medidas de atraso em um ambiente flow shop com setup independente da sequência. Foram analisadas, como medidas de desempenho, o atraso total da programação, o atraso máximo e o número de tarefas atrasadas. O estudo considera um flow shop com m máquinas e n tarefas, e, portanto, traz resultados para diferentes ambientes (relacionados ao porte do problema). A pesquisa traz resultados também em relação aos diferentes cenários que se pode observar na produção, de acordo com um alto ou baixo fator de atraso e com a amplitude da faixa de datas de entrega. Os resultados foram gerados através da experimentação computacional. Dentre as novas regras de prioridade propostas, destacam-se os resultados obtidos pela regra SPT3, constituindo uma nova alternativa de sequenciamento da produção, capaz de apresentar melhor desempenho que a regra clássica EDD.


Palavras-chave


Programação da produção. Flow shop. Medidas de atraso. Regras de prioridade. Setup independente da sequência.

Texto completo:

PDF ♪ÁUDIO♪

Referências


ARMENTANO, V.A.; RONCONI, D.P. Minimização do tempo total de atraso no problema de flow shop com buffer zero através de busca tabu. Gestão & Produção, v. 7, n. 3, p.352-363, 2000. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-530X2000000300011

BARMAN, S. The impact of priority rule combinations on lateness and tardiness. IIE Transactions, v. 30, n. 5, p. 495-504, 1998. DOI: http://doi.org/10.1023/A:1007503508080

FERNANDES, S.C.; PIRES, T.A.; CAMARGO, V.H.C.; FUCHIGAMI, H.Y. Análise de desempenho de regras de prioridade para programação em flow shop com três máquinas, datas de liberação e tempos de setup dependentes da sequência. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 30, 2010, São Carlos. Anais. São Carlos: ENEGEP, 2010.

FUCHIGAMI, H.Y. Introdução ao Sequenciamento da Produção. Catalão: UFG, 2016. Material didático. Versão 7.0.

FUCHIGAMI, H.Y.; MOCCELLIN, J.V. Desempenho relative de regras de prioridade para programação de flow shop híbrido com tempos de setup. Produção Online, v. 15, n. 4, p. 1174-1194, 2015.DOI: http://dx.doi.org/10.14488/1676-1901.v15i4.1791

FUCHIGAMI, H.Y.; MOCCELLIN, J.V. Efeitos de regras de prioridade para programação da produção em sistemas industriais complexos. Produção Online, v. 16, n. 1, p. 3-25, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.14488/1676-1901.v15i4.1791

HAUPT, R. A survey of priority rule-based scheduling. OR Spektrum, v. 11, p. 3-16, 1989. DOI: https://doi.org/10.1007/BF01721162

JAYAMOHAN, M.; RAJENDRAN, C. New dispatching rules for shop scheduling: a step forward. International Journal of Production Research, v. 38, n. 3, p. 563-586, 2000. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/002075400189301

JUNG, C. F. Metodologia para pesquisa & desenvolvimento: aplicada a novas tecnologias, produtos e processos. Rio de Janeiro: Axcel Books, 2004.

MARTINS, R.A. Abordagens Quantitativa e Qualitativa. In: MIGUEL, P.A.C.(Org.). Metodologia de pesquisa em Engenharia de Produção e Gestão de Operações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010. p. 45-61, cap.3.

MOCCELLIN, J.; NAGANO, M. Heuristic for flow shop sequencing with separated and sequence independent setup times. Journal of the Brazilian Society of Mechanical Sciences and Engineering, v. 33, n. 1, p. 74-78, 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1678-58782011000100011

MOCCELLIN, J.; NAGANO, M. Uma propriedade estrutural do problema de programação da produção flow shop permutacional com tempos de setup. Pesquisa Operacional, v. 27, n. 3, p. 487-515, 2007. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-74382007000300005

NAKANO, D. Métodos de Pesquisa Adotados na Engenharia de Produção e Gestão de Operações. In: MIGUEL, P.A.C.(Org.). Metodologia de pesquisa em Engenharia de Produção e Gestão de Operações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010. p. 63-72, cap.4.

PINEDO, M. L. Scheduling: theory, algorithms and systems. New York: Springer, 2016, 5th ed.

RONCONI, D.P.; BIRGIN, E.G. Mixed-integer programming models for flow shop scheduling problems minimizing the total earliness and tardiness. In Just-in-Time Systems, Y.A. Ríos-Solís and R.Z. Ríos-Mercado (Eds.), Springer Series on Optimization and Its Applications, P.M. Pardalos and Ding-Zhu Du (Series eds.). 2012.

TAILLARD, E. Benchmarks for basic scheduling problems. European Journal of Operational Research, v. 64, p. 278-285, 1993. DOI: https://doi.org/10.1016/0377-2217(93)90182-M




DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v18i2.2819

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


R. Eletr. de Eng. de Produção e Correlatas - ISSN 1676-1901 Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).                           Contato: producaoonline@gmail.com