O significado do trabalho na indústria criativa: um estudo no porto digital do Recife

Nut Leão Rampazzo, Pierre Lucena Raboni, Paula Roberta Callado Bezerra de Mello

Resumo


O presente estudo tem como objetivo central analisar o significado do trabalho na perspectiva de colaboradores do Porto Digital, de forma a auxiliar na elaboração de políticas empresariais para este setor da economia criativa. Os dados foram coletados através da aplicação de questionários do período de 6 a 9 de janeiro de 2014 junto àqueles que trabalham no Porto Digital. A análise dos dados foi realizada com o auxílio dos softwares SPSS 17.0 e Microsoft Excel 2007. Os resultados indicam que seis fatores influenciam a satisfação dos trabalhadores: a responsabilidade socioestrutural da empresa, as condições de trabalho, a realização obtida no trabalho, o desenvolvimento alcançado, os valores da empresa e macroestrutura oferecida pela empresa.


Palavras-chave


Porto Digital. Significado do trabalho. Análise Fatorial

Texto completo:

PDF ♪ÁUDIO♪

Referências


ALMEIDA, D.; DOS SANTOS, M. A.; COSTA, A. F. B.. Aplicação do Coeficiente Alfa de Cronbach nos Resultados de Desempenho da Saúde Pública. ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 30., 2010. Anais... Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro de 2010.

BENDASSOLI, P. F.; BORGES-ANDRADE, J. E. Significado do trabalho nas indústrias criativas. RAE - Revista de Administração de Empresas, v. 51, n. 2. São Paulo, p. 143-159, mar./abr. 2011. Disponível em: www.scielo.br

BEZERRA, F. A. Análise fatorial. In L. J. Corrar; E. Paulo e J. M. Dias Filho (Eds.). Análise multivariada para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. São Paulo: Atlas, 2012. p. 73-130.

BORGES, L. O.; ALVES FILHO, A. A mensuração da motivação e do significado do trabalho. Estudos de Psicologia, Natal, v. 6, n. 2, p. 177-194, jul./dez. 2001. Disponível em:www.scielo.br.

BRASIL. Ministério da Cultura. Informações contidas no site do Ministério da Cultura. Disponível em: http://www2.cultura.gov.br. Acesso em: ago. 2013.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FIRJAN). Mapeamento da indústria criativa no Brasil. Rio de Janeiro, Out./ 2012. Disponível em: http://www.firjan.org.br

FLORIDA, R. A Ascensão da Classe Criativa: e seu papel na transformação do trabalho, do lazer, da comunidade do cotidiano. Porto Alegre: L&PM Editores. 2011.

GOLGHER, A. B. A distribuição de indivíduos qualificados nas regiões metropolitanas brasileiras: a influência do entretenimento e da diversidade populacional. Nova Economia, v. 21, n.1. Belo Horizonte, p. 109134, jan./abr. 2011. Disponível em: www.scielo.br

LANCASTER, K. A new approach to consumer theory. Journal of Political Economy, n. 74, p. 132-157, 1966.

LAROS, J. A. O uso da análise fatorial: algumas diretrizes para pesquisadores. In: Análise fatorial para pesquisadores. Brasília, DF: LabPAM Saber e Tecnologia, 2012. p.141-160. Disponível em: http://www.researchgate.net

LUCHESA, C.; CHAVES NETO, A. Cálculo do tamanho da amostra nas pesquisas em Administração. Biblioteca do Centro Universitário Curitiba. Curitiba: Edição do autor, 2011. Disponível em: www.unicuritiba.edu.br

MARQUES, J.; LEITE, C. Clusters como novas possibilidades de regeneração urbana e reestruturação produtiva: o caso do Porto Digital, Recife. Cadernos de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, v. 5, n. 1, 2008. Disponível em: www.mackenzie.br

MARTINS, C. M. T.Análise de variância: 1º Curso Intensivo de Estatística Computacional, Capítulo IV. Universidade de Coimbra, Portugal, 2007. Disponível em: www.uc.pt/

MORIN, E. M. Os sentidos do trabalho. RAE - Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 41, n. 3, p. 8-19, jul./set. 2001. Disponível em: www.scielo.br

MORIN, E.; TONELLI, M. J.; PLIOPAS, A. L. V. O trabalho e seus sentidos. Psicologia & Sociedade. Porto Alegre, v. 19, Edição Especial 1, p. 47-56, 2007. Disponível em: www.scielo.br

NATHAN, M. The Wrong Stuff? Creative Class Theory and Economic Performance in UK Cities. Canadian Journal of Regional Science, v. 3, N. XXX, p. 433450. October 2007. Disponível em: http://mpra.ub.uni-muenchen.de

PORTO, J. B.; TAMAYO, A. Escala de valores relativos ao trabalho – EVT. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 19, n. 2, p. 145-152, Maio/Ago. 2003. Disponível em:www.scielo.br

POTTS, J.; CUNNINGHAM, S. Four models of the creative industries. Forum for European-Australian Science and Technology cooperation, 2008. Disponível em: http://cultural-science.org

REIS, A. C. F. Cidades criativas: burilando um conceito em formação. Iara – Revista de Moda, Cultura e Arte, v. 4, n. 1. São Paulo, p. 128-138, abr. 2011. Disponível em: http://www.revistaiara.com.br

RIBEIRO, C. V. S.; LÉDA, D. B. O significado do trabalho em tempos de reestruturação produtiva. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Ano 4, n. 2, UERJ, RJ, 2º semestre de 2004. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org

TOLFO, S.R.; PICCININI, V. Sentidos e significados do trabalho: explorando conceitos, variáveis e estudos empíricos brasileiros. Psicologia & Sociedade, v. 19, Edição Especial 1. Porto Alegre, 2007. p. 38-46. Disponível em: www.scielo.br




DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v18i4.2756

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


R. Eletr. de Eng. de Produção e Correlatas - ISSN 1676-1901 Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. © 2002 / Todos os direitos reservados Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).                           Contato: producaoonline@gmail.com