Fatores ergonômicos, psicossociais e riscos no trabalho na mineração informal

Autores

  • Milena Nunes Alves de Sousa Faculdade Santa Maria e Faculdades Integradas de Patos
  • André Luiz Dantas Bezerra Prefeitura de Ibiara-PB.
  • Branca Maria de Oliveira Santos Universidade de Franca
  • José Eduardo Zaia Universidade de Franca
  • Dernival Bertoncello Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Paulo Roberto Veiga Quemelo Universidade de Franca

DOI:

https://doi.org/10.14488/1676-1901.v15i3.2018

Palavras-chave:

Trabalho. Saúde. Mineração. Ergonomia. Riscos Ocupacionais.

Resumo

Objetivou-se identificar os fatores ergonômicos, psicossociais e os riscos no trabalho informal no setor mineral do Estado da Paraíba sob a ótica de mineiros. Foi realizado um estudo descritivo e transversal. Participaram 371 trabalhadores informais da mineração, os quais responderam a dois questionários para analisar/avaliar o trabalho prestado em três dimensões: fatores ergonômicos; fatores psicossociais; e riscos ocupacionais. As pontuações dos itens de cada dimensão foram somadas de modo que, quanto maior a pontuação, menor a satisfação do trabalhador frente ao domínio investigado. Os resultados indicaram que o ruído muito alto é comum no ambiente laboral (66%). A maioria (54,7%) destacou que o trabalho era muito pesado e que exigia atenção e raciocínio (85,7%). Os trabalhadores enfatizaram a falta de treinamentos para atuar na área (59,3%) e poucos consideraram a manutenção do posto de trabalho como um dos componentes para se evitar a lombalgia (32,3%). O risco de acidentes foi apontado como o fator de maior atenção no cotidiano laboral (56,6%). Todos os riscos ocupacionais foram mencionados, destacando-se os físicos e químicos. Houve correlação significativa entre idade e os riscos ocupacionais, indicando que, quanto maior a idade, maior a percepção dos agentes nocivos (ρ = -0,23; p < 0,01). Ao final, constatou-se que todos os trabalhadores perceberam, em maior ou menor grau, os fatores ergonômicos, psicossociais e os riscos na mineração informal, sendo que o tempo de trabalho e a idade foram características que interferiram significativamente sobre o modo de perceber esses fatores e os riscos ocupacionais. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milena Nunes Alves de Sousa, Faculdade Santa Maria e Faculdades Integradas de Patos

Administradora e Enfermeira, Doutora em Promoção de Saúde, Docente na Faculdade Santa Maria e nas Faculdades Integradas de Patos.

André Luiz Dantas Bezerra, Prefeitura de Ibiara-PB.

Enfermeiro e Cirurgião-Dentista, Especialista em Saúde da Família, Socorrista do SAMU de Ibiara-PB.

Branca Maria de Oliveira Santos, Universidade de Franca

Enfermeira, Livre-Docente em Enfermagem, Universidade de Franca, Franca, São Paulo (SP), Brasil.

José Eduardo Zaia, Universidade de Franca

Biológo, Doutor em Ciências Biológicas, Universidade de Franca, Franca, São Paulo (SP), Brasil.

Dernival Bertoncello, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Fisioterapeuta, Doutor em Ciências Fisiológicas, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Minas Gerais (MG), Brasil.

Paulo Roberto Veiga Quemelo, Universidade de Franca

Fisioterapeuta, Doutor em Ciências Médicas, Universidade de Franca, Franca, São Paulo (SP), Brasil.

Publicado

2015-09-15

Como Citar

Sousa, M. N. A. de, Bezerra, A. L. D., Santos, B. M. de O., Zaia, J. E., Bertoncello, D., & Quemelo, P. R. V. (2015). Fatores ergonômicos, psicossociais e riscos no trabalho na mineração informal. Revista Produção Online, 15(3), 1099–1120. https://doi.org/10.14488/1676-1901.v15i3.2018

Edição

Seção

Artigos